Pesquise Aqui!

Triângulo Amoroso - Cordel

|| ||
Esse é um ensaio de escrita em Literatura de Cordel. Como este é um dos gêneros textuais que mais li quando criança resolvi fazer, faz algum tempo, algo no estilo. Saiu-me esse texto ao qual dei o título Triângulo Amoroso.
Vamos Ler?

Triângulo Amoroso

Eram dois em um caminho
Um homem e uma mulher
Trocando juras de amor
Sem um problema sequer
Que sonhavam em casar
De mãos dadas a caminhar

De repente eram três
Tinham duas na disputa
A primeira sempre amando
O “felizardo” entre as duas
E a segunda enganando

Voltaram então a ser dois
Pelo caminho a andar
O homem e a segunda
Pareciam se amar
A primeira ali parada
No caminho a esperar

Então o tempo passou
E agora um no caminho
Desiludido e triste
Amargurado e sozinho
Sofrendo por um engano
De amor vil e mesquinho.

Mas o caminho é comprido
Não se pode ficar só
Então a primeira corre
Ao encontro do amor
Vendo-o chorar calado
Mergulhado em sua dor

Então os dois no caminho
Um o outro a olhar
Ela enxuga-lhe o pranto
E se põe a afagar
Seus cabelos...  doce e meiga
Mostrando lhe o que é amar

O caminho ainda é longo
E se põem a caminhar
Juras já não trocam mais
Casar é sonho de outrora
Querer-se ainda queriam
Talvez antes como agora

Ele a olha pensativo
E para de caminhar
Segura-lhe pelas mãos
E se põe a perguntar
Por que depois da segunda
Ela o ajuda a andar

Parados dois no caminho
Ela responde num olhar
Que não importam as pedras
Em que ele tropeçar
Podem se passar mil anos
Ela ainda estará lá

Pois o caminho é difícil
Quando se propõe amar
Inda cheio de armadilhas
Que põem pra nos pegar
Mas no fim o que é amor?
É crer, amar, suportar


Por pensar no que é o amor
Por isso eu escrevi
Pois amor é puro e simples
Qualquer um pode sentir
Mas amar e suportar
É no caminho prosseguir

Gi Barbosa Carvalho

Seguidores

Google+ Badge